Pode o crente ficar possuído por demônio?

Bem, ao tratar deste assunto, o qual deve ser ponto de dúvida de muitos outros, o tratarei levando em conta, não crentes nominais, denominacionais ou meramente religiosos, mas sim, levando em conta, os verdadeiros crentes, os quais entenderam a mensagem do Evangelho (que Cristo veio ao mundo para salvar os pecadores e por essa razão foi crucificado e, posteriormente, ressuscitou) e, recebendo tão maravilhosa revelação, se converteram a Jesus Cristo, arrependidas de seus pecados.

Que minhas explanações a seguir venham a revelar minha posição (e, segundo creio, posição bíblica) a respeito do assunto aqui referido.

1 – O verdadeiro crente é propriedade exclusiva de Deus – 1 Pe. 2.9.
Se é exclusiva, só Deus tem direito de usufruto desta propriedade. Só Deus tem o direito sobre a vida do verdadeiro crente.

Deus tem lavrada uma Escritura, onde está escrito, com o sangue de Jesus, que TODO VERDADEIRO CRENTE É PROPRIEDADE EXCLUSIVA DE DEUS.

2 – O verdadeiro crente é selado com o Santo Espírito da promessa – Ef. 1.13.

Se um selo real, de um mero mortal, não podia ser violado; o que se dirá do selo de Deus? Quando nossos inimigos espirituais tentam investir contra o verdadeiro crente, eles logo vêem o Selo de Deus, e tremem. O Selo Real está impresso na alma do verdadeiro crente e de forma alguma pode ser violado. O verdadeiro crente é marcado com o próprio Espírito de Deus.

3 – O verdadeiro crente é Santuário de Deus; local onde Deus habita – 1 Co. 3.16-17; 6.19.
Se Deus está habitando a “Casa”, então não há lugar para o Diabo e/ou demônios.

2 Co. 6.14-16 também traz luz sobre esta questão para nós:

“Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo? Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos? Porque nós somos santuário do Deus vivente, como ele próprio disse:

Habitarei e andarei entre eles; serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.

Por isso, retirai-vos do meio deles, separai-vos, diz o Senhor; não toqueis em coisas impuras; e eu vos receberei, serei vosso Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso”.

O texto garante que:

“Não há comunhão há da luz com as trevas”;
”Não há harmonia, entre Cristo e o Maligno”.

Mas, também assevera que:
”Não pode haver sociedade entre a justiça de Deus e a iniqüidade do mundo”; “Não pode haver união entre crente e incrédulo”; “Não pode haver ligação entre o santuário de Deus e os ídolos falsos”. O verdadeiro crente observa estas coisas como uma ordenança do Senhor e não como um ponto de vista de Deus, o qual pode ser contrariado.

E, temos que lembrar o que a Escritura diz, em 1 Samuel 15.22-23:
“Porém Samuel disse: Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra?

Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, melhor do que a gordura de carneiros. Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a idolatria e culto a ídolos do lar. Visto que rejeitais a palavra do Senhor, ele também te rejeitou a ti”.

A desobediência à Palavra de Deus tem o mesmo peso de se praticar feitiçaria. E nós sabemos com quem a feitiçaria tem parte neste mundo – Satanás.

O verdadeiro crente busca obedecer a Deus em tudo e não apenas no que lhe convier. Quem procede desta forma, será guardado de toda investida do Diabo e/ou de seus demônios. Contra este, todas as investidas malignas, serão frustradas.

4 – O verdadeiro crente, portanto, tem dentro de si, Aquele que é maior do que o diabo – 1 Jo. 4.4.
Como um mais fraco poderá render ao mais forte, sendo o mais forte Deus?Jesus conta que para um valente venha a tomar uma casa, ele tem que ser mais valente que o que já está na casa –  Lucas 11.21-22.

Maior é o que está dentro do verdadeiro crente do que o que está fora dele. Como o Diabo e/ou seus demônios poderão saquear a “casa” onde Deus está? Satanás que está fora de mim, não pode em nada contra Deus que está dentro de mim.

O verdadeiro crente não pode ser possesso porque o Espírito de Deus habita dentro dele. O Diabo e/ou os demônios não podem entrar nele porque Deus está dentro dele.

5 – O verdadeiro crente tem autoridade e poder sobre o diabo e sobre os demônios – Lc. 10.17-19.
E, para quem tenha alguma dúvida se este poder é para todos os que crêem – Mc. 16.17-18.
Como pode alguém ficar possesso por alguém sobre quem tem autoridade e poder, no Nome de Jesus, para submeter?

Ao verdadeiro crente foi concedido poder e autoridade sobre o Diabo e os demônios. Os agentes do mal não só, não podem tomar a vida do verdadeiro crente, como, por ele (o verdadeiro crente) eles (os agentes do mal) ainda são repreendidos e expulsos das pessoas que estão sob sua possessão. Em meu nome (disse Jesus) expulsarão demônios.

O verdadeiro crente exclama com a mesma alegria dos 70 ao retornarem da missão para a qual foram enviados:

“Senhor, os próprios demônios se nos submetem pelo teu nome” – Lucas 10.17.

6 – Quanto ao verdadeiro crente, o Maligno não o toca – 1 Jo. 5.18.
Se Deus guarda o verdadeiro crente, como o Maligno poderia penetrar-lhe o corpo?

Escute esta verdade:

Quanto ao verdadeiro crente, o Diabo e/ou seus demônios não podem tocá-lo de forma espontânea; Sim, os agentes do mal não têm liberdade para tocar um verdadeiro filho de Deus.

Pois Deus é quem o guarda.

Por favor, não me venham dizer que o Diabo tocou a Jó como bem quis e quando bem quis.

O Diabo não pôde tocar em nada de Jó nem em Jó senão sob a permissão de Deus, pois Deus havia cercado Jó, a casa de Jó e tudo que Jó possuía, com uma “cerca” de poder espiritual – Jó 1.10.

Não vamos tratar aqui sobre o por quê De Deus ter permitido a Satanás tocar em Jó; no entanto, uma coisa é certa, Satanás entendia que quem está “cercado” por Deus, ele não tem livre acesso. Deus guarda o verdadeiro crente e o Maligno não o toca.

Qual é a advertência bíblica quanto aos cuidados que devemos ter com o Diabo e os demônios?
1 – Nunca deixe a “Casa” vazia, abandonada – Mt. 12.43-45.
O que isto tem a ver com o assunto. Tudo, pois fala sobre possessão demoníaca. Qual é a advertência então?

Certamente, esta passagem pode ser dirigida à pessoa que experimentou uma mudança de vida quando creu em Jesus Cristo através do Evangelho.

Aqui se aplica a verdade que “aquele que está em Cristo é uma nova pessoa; as coisas antigas passaram e tudo se fez novo” – 2 Coríntios 5.17.

Pois fala de “casa varrida/limpa” = Purificação de pecados; Também, purificação do coração, da mente, em relação à sujeira que se alojou em nós, provenientes dos valores e princípios do mundo que jaz na maldade;

Fala de “casa ornamentada” = Fala de uma nova “decoração”; Novos valores e princípios, agora, relativos ao Reino dos Céus.

Então, qual é o problema desta “casa”?

O problema é que ela está vazia, abandonada.

E o que isto quer dizer? O que significa?

A – Significa que não podemos nos afastar da presença de Deus.

Sim, fomos salvos pela graça de Deus para andarmos no Caminho da Graça sem jamais retrocedermos dele.

Deixar a “casa” vazia é negligenciar tão grande salvação.

Hebreus 2.1-3:

“Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos. Se, pois, se tornou firme a palavra falada por meio de anjos, e toda transgressão ou desobediência recebeu justo castigo, como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação?”

B – Significa que não devemos abandonar a “Casa do Pai”. Hebreus 10.25:

“Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima”.
O crente que negligência as “coisas” de Deus e não desenvolve a sua salvação - Fp. 2.12-16, corre o risco de retroceder até que se perca novamente.
Aí o segundo estado dele será pior do que o primeiro – 2 Pe. 2.20-22.
Lembremo-nos que quando o Espírito Santo se apartou de Saul (o oposto é verdadeiramente o causador – Saul foi se apartando do Espírito Santo), o demônio se apossou dele – 1 Samuel 16.14.

Antes que alguém venha sugerir que tanto o Espírito de Deus quanto o espírito maligno são enviados por Deus, afirmo, com certeza, de que, na questão de Saul, ao deixá-lo o Espírito do Senhor, Deus o deixou à mercê dos demônios.

Creio que Paulo entendeu isto e tratou do mesmo jeito ao jovem que tinha relações ilícitas com a mulher de seu próprio pai:

“Geralmente, se ouve que há entre vós imoralidade e imoralidade tal, como nem mesmo entre os gentios, isto é, haver quem se atreva a possuir a mulher de seu próprio pai.

E, contudo, andais vós ensoberbecidos e não chegastes a lamentar, para que fosse tirado do vosso meio quem tamanho ultraje praticou?

Eu, na verdade, ainda que ausente em pessoa, mas presente em espírito, já sentenciei, como se estivesse presente, que o autor de tal infâmia seja, em nome do Senhor Jesus, reunidos vós e o meu espírito, com o poder de Jesus, nosso Senhor, entregue a Satanás para a destruição da carne, a fim de que o espírito seja salvo no Dia do Senhor Jesus” – 1 Coríntios 5.1-5.

Se a pessoa resiste a Deus em relação à Palavra de Deus e à ação do próprio Espírito de Deus, então que ela seja exposta ao Diabo e seus demônios para ver se dessa forma ela cai em si e retorne ao Salvador.

A conivência e a tolerância jactanciosa para com o pecado na “Casa de Deus” se torna pedra de tropeço e espaço para o Diabo fazer maior estrago.

E, como o juízo começa pela “casa” de Deus – 1 Pedro 4.17.

A verdade é, que onde Deus não está, a “casa” fica exposta aos espíritos malignos.

O que fazer, então, para estarmos sempre seguros em Cristo e vencermos o maligno?
O verdadeiro crente deve manter a “casa” sempre cheia do Espírito:

Todo verdadeiro crente deve sempre ser cheio do Espírito Santo - Ef. 5.18;
Deve, todos os dias, andar no Espírito Santo – Gl. 5.16;
Deve viver, constantemente, no Espírito Santo – Gl. 5.25;
Deve frutificar o fruto do Espírito Santo – Gl. 5.22-23;

Deve orar, em todo o tempo, no Espírito Santo – Ef. 6.18.

2 – Não menospreze Satanás, mas também não o superestime; apenas tenha o devido cuidado – 1 Pe. 5.8.
Se o Diabo e/ou qualquer demônio não podem possuir um verdadeiro crente, eles, então, vão buscar persuadi-lo a abrir a guarda.
Guarda aberta, o que mais poderá acontecer dependerá de até onde tal crente se afasta do centro da vontade de Deus.
O grande pregador Charles Haddon Spurgeon disse certa vez:
“O Diabo está por perto e não são poucos os que estão com ele”.
No entanto, não devemos temê-los.
Pois maior é o que está em nós e conosco, e mais poderosos são os que estão a nosso favor, do que os que estão contra nós.

Prestemos atenção à posição “geográfica” espiritual de que Pedro está falando:

“O Diabo, vosso adversário, anda em derredor”.

O verdadeiro crente se posiciona no centro da vontade de Deus e, este fato, se dá, pelo testemunho de obediência, à Palavra de Deus, dado por ele.

Ao redor do verdadeiro crente tem um outro “pelotão”:

Salmo 34.7:

“O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem (os que verdadeiramente temem a Deus; ou seja, os verdadeiros crentes) e os livra”.

O Diabo e seus demônios têm um limite para se aproximarem dos verdadeiros crentes e, é, ao derredor, ou seja, só após a linha, a cerca, ocupada pelos anjos de Deus.

Para o Diabo e/ou qualquer de seus demônios possam atingir de forma mais objetiva a vida de um verdadeiro crente, sem a permissão de Deus, como no caso de Jó, eles (o Diabo e os seus demônios) precisam seduzir e atrair o verdadeiro crente para fora da vontade de Deus e para além da linha salvaguardada pelos anjos de Deus.

Por isso, o Diabo e sua corja, vivem andando ao derredor enquanto lançam seus dardos inflamados sobre os verdadeiros crentes; dardos estes que os verdadeiros crentes podem neutralizar pela fé obediente à Palavra de Deus – Efésios 6.16.

Portanto, devemos ser sóbrios e vigilantes, pois o diabo é astuto e ardiloso.
Devemos resistir ao Diabo e, então, ele fugirá de nós – Tg. 4.7;
Devemos, também, nos revestir de toda a Armadura de Deus para podermos ficar firmes contra as ciladas do Diabo – Ef. 6.11;
Mas, acima de tudo, temos que estarmos fortalecidos no Senhor e na força do seu poder – Ef. 610.

A que conclusão chego com tudo isso?

Chego à conclusão de que o verdadeiro crente não pode ser possesso por demônio enquanto anda na luz onde o Senhor na luz está.
Baixando a guarda e se afastando das coisas de Deus, o Diabo vai conseguir produzir alguma ingerência sobre tal crente descuidado e conformado com o mundo caído, buscando fazer dele um tropeço enquanto continua buscando afastá-lo completamente do “arraial” de Deus, quando poderá devorá-lo.
Fora do “arraial” de Deus, a situação de tal crente poderá se tornar à semelhança da situação de Saul, quando se afastou de tal maneira de Deus que o Espírito Santo o deixou e a “casa” ficou vazia e à mercê de salteadores que buscam um covil para se esconderem.
Portanto, sejamos sóbrios e vigilantes, para que, a nossa situação espiritual, no Senhor, não seja invertida.